segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Os absurdos do atendimento ao público

Quem já trabalhou com algum tipo de atendimento ao público sabe como é: só tem gente louca nesse mundo e as que você precisará atender são, com certeza, sempre as mais perturbadas. No bom e no mau sentido.
No meu antigo emprego (que eu deixei há uns 2 anos), eu era a mocinha do suporte técnico por telefone num provedor de internet. E também era a secretária, recepcionista, caixa, pseudo-gerente, office-boygirl, vendedora, enfim, mas isso nem vem ao caso.
O fato é que eu tratava diretamente com os clientes. Pessoalmente, por telefone, por MSN, sinal de fumaça, tudo.
Tive contato com clientes tão estressados que uma vez precisaram chamar a polícia pra ele não me agredir. Sério.
Mas também tive contato com aquele tipo de cliente tão imbecil que chega a ser engraçado, que nem um que chegou lá no escritório louco de vontade de reclamar, mas não sabia do quê, então cismou que a conexão dele estava lenta.
- Mas lenta como, fulano?
- Ah, Camila... Lenta... Demora muito pra abrir as páginas...
- Mas muito quanto, fulano? Os testes que fiz aqui mostram que seu sinal tá perfeito.
- Ah... Demora uns... [cliente pensando] 5 segundos.
- Você acha que 5 segundos é demorado?!
- Ah... Podia ser mais rápido, né?
[resposta que eu deveria ter dado] - Então assina a porra de um plano mais caro, cacete! Eu uso discada na minha casa e não tô chorando.
[resposta que eu dei] - ...
Então, mas esse post na verdade surgiu por causa de uma cena que presenciei ontem no meu atual ganha-pão.
Tava eu lá, quietinha no meu canto, matando o tempo antes de ir embora, enquanto o menino que trabalha comigo e faz o atendimento ao público procurava uns documentos pra uma mulher.
Eis que surge uma terceira voz no balcão (da minha mesa eu só ouço o atendimento, sem ver a cara de ninguém), interrompendo o atendimento que já estava acontecendo:
- Eu preciso de uma declaração...
- Espera um momento só, senhor. Tô atendendo ela e já atendo o senhor.
Menos de 5 minutos de silêncio e ele fala de novo:
- Viu, vai demorar muito?
- Senhor, eu tô sozinho atendendo aqui, então o senhor vai ter que esperar eu acabar de atender a senhora que chegou primeiro.
- Pô, cara! Mas tá demorando muito! Tô com pressa.
- O senhor tem compromisso marcado, tá atrasado?
- Ah... Não.
- Então...?
- Ah, cara! É que eu tô com sono. Quero ir dormir. Dá pra ir mais rápido aí? Tô com muito sono.
De lá do meu cantinho, só ouvi a ridada meio abafada do menino, porque, né? Só rindo de uma pessoa dessas.
Até porque, já era 6 e poucas da tarde! E até eu, que sou a maior preguiçosa do mundo, JAMAIS usaria "é que tô com sono" como argumento para apressar um atendimento.
Trabalhar 8 horas por dia cansa, mas não posso negar que me divirto com essas coisas que acontecem. E o mais legal é que todo dia acontece algo novo. Juro! Todo dia eu repito em meio a risos pra alguém: "são tantas emoções".
***
"Por que você não foi ajudar no atendimento?"
Porque:
1-Eu não faço atendimento de balcão.
2-Eu já estava fazendo hora extra meio que sem necessidade, mas cuidando do meu serviço.
3-Eu tava com muito sono, cara!

***
Trilha Sonora: A TV tá ligada passando qualquer coisa aí que nem tô prestando atenção, mas a trilha sonora mental é uma musiquinha de balada que ouvi o cara cantando na fila das Lojas Americanas hoje e ficou na minha cabeça. Música chiclete, sabe?

2 comentários:

disse...

Curiosidade: o que compraste nas Americanas?

Menina, atendimento ao público é sempre problemático tanto pra quem atende, quanto pra quem é atendido. Sempre. Mas essa foi dose.

Joyce Ferreira disse...

Eu trabalhava no telemarketing da Caixa Economica. Uma vez, um cara ligou pedindo o resultado da mega sena, só q tinha acontecido algum problema q o resultado tinha atrasado. Ae ele disse q no jogo do bicho isso não acontecia e q não confiava mais na Caixa. Antes de desligar ele pediu mais o resultado da Quina, Lotofácil e Dupla sena. Po, um apostador nato (do tipo AA - apostadores anônimos). Dps disso, ele deve ter ido pro bingo XD