domingo, 21 de agosto de 2011

O que acontece quando não sou mal criada

Ontem eu fui ao médico. Tenho passado com um gastro há alguns meses por conta de estar toda estragada por dentro uma gastrite e uma pedra na vesícula que pretendo arrancar tão logo o tal gastro me autorize.
Daí que ele me mandou perder algumas dezenas de quilos (duas para ser exata) há exatos dois meses e, voltando ontem para exibir meu corpo novo, ele ficou extremamente bravo quando viu que eu não só continuo redondinha (circulada, como disse meu irmão uma vez), como ganhei mais 3 quilos desde a última consulta.
Levei um belo de um sermão sobre auto-estima, alimentação saudável e qualidade de vida e ainda ouvi dele:
- Como você quer emagrecer se continua comendo pão antes de dormir? Não pode!
Tive uma semana tão cu, que na hora eu só ouvi, calada, fingindo que concordava. Mas na real, eu queria era dizer o seguinte:
- Quem disse que eu quero emagrecer? Perder uns quilos seria bom, sim, mas em qual momento eu disse que eu estava disposta a perder estes quilos? E, apesar de você ser legal, eu nem gosto de médicos! Só vim aqui porque a gastrite e a vesícula doente me obrigaram! Era isso ou morrer de uma vez. Deixa em paz minha gordura localizada e bem acomodada onde ela sempre esteve e não me perturbe mais! Grata.
Mas, né? Já tinha esgotado minha cota de falta de educação com as pessoas essa semana e ele realmente quer que eu fique mais saudável. Então fiquei calada e respondi que vou me esforçar mais nos próximos meses, que vou me alimentar direito e vou perder os quilos que ele mandou.
Como prêmio pela minha obediência, ganhei a receita de um remédio que vai me custar o equivalente a um mês de água + luz + telefone. Achou muito? Pois tá melhor que a receita anterior que me custava mais que um mês de aluguel.
E a moral da história é: nenhuma. Só queria verbalizar a minha indignação comigo mesma por eu ter ficado calada enquanto o médico dizia que EU queria emagrecer, sendo que essa idéia doida de perder tantos quilos foi dele e não minha.
Fim

***
Trilha Sonora: Pra Sempre - Marina Lima com Samuel Rosa cantando na minha cabeça essa musiquinha lindinha e fofinha e inha inha.

Um comentário:

poetriz disse...

Uma vez um neurologista extremamente obeso me disse que eu tinha que fazer dieta... por causa da enxaqueca.
Eu olhei bem pra ele e ele entendeu perfeitamente o que quis dizer: "como alguém do seu tamanho pode aconselhar esse tipo de coisa?"
Então ele se desculpou.
E eu nunca mais voltei lá.