sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Assumo: sou chata e não apago e-mails

Estava lendo uns e-mails velhos outro dia. Cheguei em um, especificamente, que me fez pensar Puta merda! Como eu sou chata!
Na verdade eu sou legalzinha a maior parte do tempo, mas de vez em quando eu exagero tanto em certas atitudes que me torno insuportavelmente chata. E eu sempre acho que estou com a razão no tal momento, o que me torna ainda mais chata.
Um exemplo prático: o e-mail em questão. Na verdade foi uma série deles, que troquei com um amigo por causa de uma briga que tivemos em um final de semana qualquer, há algum tempo atrás.
Ele disse uma coisa que não deveria ter dito porque EU não esperava que ele fosse dizer. O agravante da situação foi ele ter dito a tal coisa para uma determinada pessoa que, na época, eu não suportava. Confuso, mas é isso.
Quando eu soube da conversa que envolvia o meu nome (mas eu não era a personagem central), fiquei puta da vida, xinguei, questionei a confiança que eu tinha (tenho) nele e o valor da nossa amizade para ele.
E é nesse ponto que entram os e-mails. Passamos uma segunda-feira inteira trocando mensagens de "me desculpa?" e "Não acredito no que você fez!". E eu crente que estava agindo da maneira mais correta, fazendo tempestade em copo d'água e soltando os cachorros pra cima de uma pessoa que sempre esteve ao meu lado e não mudava de posição nem comigo agindo feito louca. Permanecia ali, pedindo desculpas por ter me magoado e tentando dizer o quanto nossa amizade valia pra ele.
Como sou uma pessoa muito orgulhosa, demorei uma semana para conversar de maneira decente com ele e acertar as coisas. Acertamos tudo. Continuamos amigos, mas eu lembro do ocorrido, releio os e-mails e penso "Puta merda! Como eu sou chata!"
Preciso realmente arrastar uma mágoa durante dias, até perceber que certas pessoas não nos magoam por mal?
Tão mais simples para quem consegue mandar tomar no ** na hora e seguir em frente.
Mas um dia eu consigo.
Afinal, é isso ou parar de reler velhos e-mails que só me fazem entrar nessas merdas de túneis do tempo e perceber que eu não mudo. O tempo passa e eu continuo pensando Puta merda! Como eu sou chata!.

***
Foi mais um desabafo do que qualquer outra coisa.

***
Trilha Sonora (mental): O Vento - Los Hermanos. Porque o Victor, sem querer, fez ela grudar na minha cabeça.

4 comentários:

Shelley Miretzki disse...

Adorei o texto, pq sabe, eu também sou chata... Examante como você... E é bom saber que não sou a única... Custa esquecer, perdoar?! Não, tem que ficar jogando na cara das pessoas... Que raiva que eu tenho de mim as vezes!!! Mas, eu sou chata né...

beijinhos

Gabi Romeiro disse...

Ah relaxa camis, chato é quem lê os emails depois de um tempo e continua achando que tinha razão... rs!
Assumir a chatisse é legal!

Bel Gasparotto disse...

Acho que todo mundo é chato. Agora, ficar relendo e-mails, cartas e essas coisas, aí não dá. Por isso apago tudo, de tempos em tempos. Vira e mexe faço uma limpeza em tudo, e-mails, armários, cadernos, jogo tudo fora mesmo. Estranho né? uma historiadora que não guarda essas coisas, rsss.

Bjs!

Di disse...

Eu guardo e-mails que me dão boas energias ao ler, ruins eu deleto.