sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Conversa alheia

Tava eu lá, sentada na Casas Bahia, esperando meu cadastro ser aprovado (sem comentários), quando a conversa das pessoas que estavam atrás de mim chamou minha atenção:
- Então compra um walkman pra ela.
- Quê?!
- Que foi?
- Walkman, fulana?!
- Tá. Um discman, então.
- Fulana!
- Vai me dizer que não existe mais?!
- Fulana! MP3, no mínimo. MP4...
- Nossa! Daqui a pouco tem até MP7, 8, 9... E eu ainda tô no walkman.
- É... Já tem fulana.
- Nossa! Como eu tô fora de moda! Mas no camelô ainda tem walkman, não tem? Aquele que você aperta o botãozinho e acende a luzinha...
- Fulana!
- Tá bom! Desculpa!

A cada "fulana", o tom era de mais indignação ou vergonha alheia, não sei bem. Só sei que tive que me segurar pra não gargalhar na fila. Nada contra ela preferir usar um walkman, mas nem saber da existência de modelos mais novos... Foi foda.

***
Trilha Sonora: Qualquer coisa...

3 comentários:

disse...

É... quando a gente pensa que as coisas são de conhecimento geral, a gente ouve uma dessas. Outro dia uma colega de trabalho, tudo bem que ela deve ter seus 55 anos, mas 55 anos é nova ainda, pô! Eu entrei na sala e perguntei por um colega nosso. Ela: - ele foi verter água. Eu: - Hã?! Ela: - verter água. Eu: - E que raio é isso? Ela: - fazer xixi. Eu: - Ah, tá, obrigada. E saí da sala pensando... desde que século será que pararam de usar essa expressão? Oh, god!

εϊз disse...

moderna ne?


passa la no meu
http://nemseiumaurl.blogspot.com/

Nica disse...

UAHUAHUAHUHAUHHAA... até que essa pessoa ta moderninha. Se minha vó fosse viva estaria dizendo "compra um toca fitas, minha filha."