segunda-feira, 19 de maio de 2008

Crise de identidade

Dia desses eu estava contando para o Mike José e para o Gamella, pelo msn, sobre a troca de bebês que aconteceu quando eu nasci.
Pois é. Eu fui trocada no hospital.
Sou a mais velha de 4 irmãos (eu e mais 3) e, quando eu vim pra esse mundo, meus pais eram um pouco mais novos do que eu sou hoje.
Diz a minha mãe que nós 4 nascemos com a cara do meu pai. Diz o meu pai que todo bebê nasce com cara de joelho, inclusive nós 4.
Então, quando eu nasci, emoção! primeira filha, primeira sobrinha, primeira neta (do segundo casamento da minha vó), coisa linda de Deus, fui mandada para o berçário para fazer as coisas que todo bebê faz no berçário.
É. Não sei o que eles fazem no berçário, além de ficarem guardados lá naqueles caixotinhos de acrílico com cobertinhas feias.
Horas depois, me colocaram naqueles carrinhos legais com mais mil bebês e fomos dar um rolêzinho pela maternidade, em busca de leite das mamães.
Foi aí que surgiu o problema: deram outro bebê para a minha mãe e eu fui parar sabe Deus aonde.
Segundo a minha mãe, ela percebeu logo de cara e fez escândalo, exigindo que eu fosse encontrada avisou a enfermeira que aquele bebê não era o dela.
Destrocaram.
Como eu sei que destrocaram?
1º O bebê que foi no meu lugar não tinha a cara do meu pai. Devia ter cara de joelho, né?
2º A pulseirinha de identificação dizia que a mãe do pacotinho era uma tal de Maria Auxiliadora e este, até onde eu sei, não é e nem nunca foi o nome da minha mãe.
3º O bebê tinha pipi e eu não nasci com pipi (e continuo não tendo um, caso alguém apareça aqui com essa dúvida bizarra).
Agora, uma dúvida que surge de vez em quando (quando não tenho nada melhor para pensar. Como agora, por exemplo) é: levaram o filho da Dona Maria Auxiliadora pra outro canto e trouxeram uma menina para a minha mãe (eu). Mas, quem me garante que quem foi para o quarto da minha mãe era a filha dela mesmo e não uma menina qualquer que também estava no carrinho (eu seria a "menina qualquer")?
Sendo assim, eu não sou eu. Eu sou alguém que não sei quem sou/não sei quem é.
E onde estaria eu de verdade? Será que eu de verdade está sabendo que não é ela e, na verdade, ela sou eu?
Ai... Fiquei confusa, mas é basicamente isso aí.
Bom, segundo a minha mãe, novamente, eu sou eu de verdade porque estava com o nome dela na pulseirinha e tinha a cara do meu pai. Mas, como as mães sempre dizem que os filhos são lindos, vai ver ela achou que eu era eu porque foi sugestionada quando a enfermeira me entregou pra ela dizendo que a troca estava desfeita.
A pulseirinha? Pode ter sido trocada no berçário, oras. Esse tipo de coisa é tão normal. Até parece que vocês não assistem novela das oito.

***
Eu ia contar essa história no dia do meu aniversário (1º de maio. Cadê meus presentes?), mas como eu estava ocupada demais comemorando e depois estava ocupada demais tentando sarar da bebedeira, não deu pra postar.
Aí foi ficando para depois e, sabem como é, ando preguiçosa até o último fio de cabelo.

***
Trilha Sonora: Not Tonight - Tegan and Sara. Gosto da voz delas.

10 comentários:

Mike disse...

Mas há uma explicação lógica:
se todo bebê tem cara de joelho, super normal que a enfermeira, que deve ficar vendo mil joelhos por dia, se confundisse...
heheheh

Huguinho disse...

Puxa, quei história, hein!!!!
Se sua mãe disse que vc é vc mesma ela deve estar com razão porque a probabilidade das mães errarem é pequena. Mas não comentaram da outra mãe? A do filho trocado. Se ela também não havia percebido a troca?
Abraços, menina!!!

maray disse...

e afinal, já que vc era a cara do seu pai e todo bebê tem cara de joelho, teu pai tem ou não cara de joelho??

PS: eu, ao contrário, teve uma época em que adoraria ter sido adotada. Infelizmente, também sou a cara do meu pai. E não, ele nunca teve cara de joelho! Só de bundão, de vez em quando, quando pego em flagrante delito com o sexo oposto...

•Cah disse...

Quem nunca se sentiu adotiva!!?!?

eu sempre digo que fui achada hahahahhaa

CRISES MUITOO NORMAIS!
=]


beijooo

Tay Highway disse...

Isso me lembra q eu não fui ao seu aniversário. Droga!

Maria Fernanda disse...

Eia que confusão que isso fez na minha cabeça!

gabimazzei disse...

Eu tenho certeza de que sou adotada, cer-te-za.

Srta Diazepan disse...

primeira visita aqui na caixa da ex cara de joelho que tem dúvida sobre quem é e teve uma maria auxiliadora na história.
Loucura isso, né!
Curti! Volto mais vezes

:o)

.Ná. disse...

Nossa, Mila, vc não deveria ter voltado pra sua mãe, mas sim ido direto prum hospital psiquiátrico. Ou você passa tempo de mais confabulando com crianças, ou você está com graves problemas mentais. sinceramente, você tá maluca! ahhahahahahaha
Bjos

Edu Guimarães disse...

Puuttzz ... não sei se é uma história engraçada, mas eu achei muito engraçado, rss

De todo modo, é um texto muito bacana!
Beijo no joelho!