sábado, 16 de agosto de 2008

Incendiando a cozinha - Parte II

Omelete surpresa

Anos atrás, a família resolveu sair num domingo de manhã e eu fiquei dormindo.
Não me lembro o que eles foram fazer, mas sei que acabaram ficando fora de casa por mais tempo do que esperavam.
Lá pelas 13:00hs , acordei com aquela fome do caramba e fui em busca de coisas que pudessem tapar o buraco do meu estômago.
Mal acostumada que sou, fui olhar no fogão se a mamãe querida havia deixado o almoço pronto antes de sair.
Nada. Só um arroz que era sobra da janta.
Abri a geladeira em busca de bolachas ou coisas semelhantes (leia-se: porcarias nada nutritivas) e , de novo, nada. Tudo o que eu vi foram uns ovos e uma fatia de presunto.
"Vou fazer omelete! Será que eu consigo?", pensei. "Hmmm... Vai faltar queijo."
Omelete sem queijo não tem graça, então pensei em uma solução prática: queijo ralado.
Abri o armário e voilà! O potinho onde minha mãe guardava queijo ralado estava cheio. Beleza!
Quebrei os ovos, piquei o presunto, coloquei mais uns entulhos da geladeira e finalizei com o queijo. Muito queijo!
Comi, limpei a cozinha e fim.
Horas depois, minha mãe chega desesperada:
- Mila, tá sem comer até agora! Demoramos demais na rua e eu não deixei nada pronto pra você comer. Tá com muita fome?
- Não, mãe. Já comi. Fiz omelete e esquentei aquele arroz que tá no fogão.
- Omelete? Fez omelete com o quê? Nem tem queijo.
- Ah, tinha ovo e um pouco de umas coisas na geladeira. Aí achei queijo ralado no armário e coloquei também, já que não tinha queijo em fatia.
- Queijo ralado? Não tem queijo ralado.
- Tem, sim. Eu comi.
-Não tem, não.
Ficamos naquela discussão de "tem, não tem, tem, não tem" por alguns segundos, até que eu mostrei:
- Aqui, mãe. Queijo ralado no potinho da tampa azul. Tá cheio.
- Camila, isso é farinha Láctea que a Patrícia deixou aqui para quando ela vem e precisa fazer a mamadeira do Vinícius. Você fez omelete com farinha Láctea?!
-Ah, eu fiz... Achei que era queijo ralado...
Também nem vou reproduzir em palavras a cara de espanto/indignação que minha mãe fez enquanto eu sacudia debilmentalmente alegremente o potinho de farinha Láctea na minha mão.
Sobre esta "receita", só tenho duas coisas a dizer:
1º - A culpa foi dela que usou o pote do queijo ralado para guardar outra coisa
2º - Ficou gostoso. Parecia queijo de verdade.
E também não preciso dizer que essa experiência virou "lenda" aqui em casa, né? Minha mãe conta e ninguém acredita.
Fazer o quê?!

***
Trilha Sonora: 1979 - Smashing Pumpkins. Porque eu gosto e poderia ouvir um milhão de vezes seguida.

5 comentários:

caicko disse...

Heheheheh... nada como a fome como engrenagem gustativa. Adorei. Ótima semana!!!

ALBERGUE MENTAL
http://caioalbergue.blogspot.com

Bel Gasparotto disse...

Só uma explicação: autosugestão. Certeza. Pq farinha láctea é gostoso, mas não parece em de longe com queijo, kkkk.

Bj

Dread disse...

uahuahuahauh

eu ainda me lembro do dia em que você me contou isso. Eu praticamente não acreditei na hora, mas fiquei rindo até.

Hoje eu sei que é verdade. rs

amo vc.

julio de castro disse...

sério, chorei de rir aqui. vou testar esse ingrediente.

abração

Di disse...

Farinha láctea com gosto de queijo ralado, o q a fome não faz, né? =/