segunda-feira, 27 de junho de 2011

Aquele tipo de pessoa que me ama tanto que não seria capaz de ser feliz sem mim. Aquela pessoa que lambe o chão que eu piso, que deita para que eu passe por cima dela sem pisar na sujeira. Aquela pessoa que morreria se precisasse viver sem mim. A pessoa que perdoaria todas as minhas falhas e nunca criticaria meus defeitos. Sabe a pessoa que quer respirar o mesmo ar que eu respiro, de preferência antes de mim para filtrar ele pra mim? Uma pessoa que me idolatrasse quase como um fiel ao seu santo. Alguém que fosse capaz de matar e morrer por mim. Uma pessoa que largasse tudo, sem pensar, sem questionar e viesse atrás de mim aonde eu estivesse. Alguém tão cego de ciúmes que não me deixasse sair de casa sozinha. Alguém tão apaixonado por mim que sugaria cada segundo da minha vida para não perder nada e poder viver tudo junto comigo, na mesma intensidade que eu vivo. Uma pessoa que construa uma casinha de vidro pra me colocar sentada lá dentro, protegida do resto do mundo. Aquela pessoa que quer tanto fazer parte da minha vida, que deseja até entrar nos meus sonhos para saber o que eu vivo enquanto durmo.
Não. Eu nunca quis.
A única coisa que eu queria era alguém que ficasse comigo porque me ama e só. Sem exageros, sem excessos, sem complicações, sem loucuras. O tipo de amor que me permite amar de volta porque é o que eu também sinto, na medida que eu sinto, sem trocas ou troco porque um dos dois amou mais que o outro. Alguém que me ame porque-me-ama-porque-sim.
Alguém que fique e esteja comigo por amor. Só amor.

***
Estou numa fase de odiar títulos.

***
Trilha Sonora: A TV, companhia de todos os dias.

Um comentário:

deleyga disse...

Também nunca quis nada disso, esses amores de Outdoor são mais falsos que notas de dois reais. Mas difícil mesmo é achar um amor sem complicações...rss

Boa noite! ;*