domingo, 2 de março de 2008

De tudo um pouco (parte1)

Sabe quando a idéia está prontinha na sua cabeça, mas na hora de colocar em palavras, não sai porcaria nenhuma?
Então.
Eu sei exatamente como eu quero que fique o post, mas não consigo organizar as palavras, formar frases coerentes e, se bobear, tô com problemas até para conjugar verbos.
*
*
Horas depois...
*
*
Queria dizer que eu não gosto de política porque eu acho tudo uma putaria tão grande que perdi a vontade de continuar acreditando em pessoas honestas que queiram representar o povo.
Não acredito no socialismo e fiquei feliz quando o Fidel disse tchau, mesmo sabendo que o irmão dele pode tentar prosseguir a coisa toda. Isso pode ser pouco, mas acredito que já seja um bom começo para que Cuba abra suas portas para o resto do mundo e o resto do mundo faça a mesma coisa por eles.
Na verdade verdadeira, acho que não sou contra o socialismo. Sou contra a falta de liberdade que o socialismo traz.
Acredito na liberdade de ir e vir, na liberdade de escolher se você quer ser rico porque trabalhou duro para isso ou se você quer viver só com o essencial porque não sente necessidade de coisas além de casa, comida, saúde, educação de qualidade para os filhos e um emprego garantido pra você.
Não defendo o capitalismo, porque sei que há coisas que o dinheiro não comprará nunca (nem com Mastercad), mas confesso que de vez em quando umas compras à toa me fazem bem, uma tarde no McDonald's me deixa animada e algumas voltas no shopping me distraem. Só não deixo que esse tipo de coisa vire uma religião na minha vida.
Não tenho religião. Acho que é totalmente dispensável. Fui criada dentro dos princípios cristãos, mas nunca fui obrigada a freqüentar igreja nenhuma. Perdi a fé em Deus quando eu tinha 9 anos. Depois voltei a acreditar, mas, como eu disse para um conhecido há alguns dias atrás: "acredito, desconfiando".
Evito falar a respeito disso com pessoas religiosas porque os religiosos têm tendência a rejeitar evidências que não sejam aprovadas pela bíblia.
Acredito que contra fatos, não há argumentos. Prove-me que estou errada e eu me calo. Mas argumente com fatos, não com escrituras sagradas.
Deus (ou seja lá o que for a tal força superior) é a resposta para tudo aquilo que a ciência não dá conta de me explicar. Quando a ciência não tiver mais mistérios para estudar, Deus provavelmente não existirá mais pra mim.
(...)
*
*
Eu continuaria o post, mas agora preciso trocar as baterias do meu cérebro. Ele acabou de parar.

***
Trilha sonora: O CD Under Rug Swept da Alanis, pela 3ª vez. Neste momento, exatamente, Hands Clean.

7 comentários:

Huguinho disse...

Para quem estava com problemas para iniciar o texto, saiu muito bem. Gosto do seu blog porque tm assuntos interessantes.
Nem tudo o que vc escreve, eu concordo, mas gosto da maneira como expõe seus sentimentos e opiniões.
Abraços

Anônimo disse...

Milaaaaaaa
Só vim te assombrar, mas não li o texto todo, tô com preguiça agora.
Beijos!
(Gabi. É, Mazzei).

Bel.Gasparotto disse...

Curti o texto, rsrs. Sua visão sobre Deus é bem parecida com a minha, mas a minha mãe me obrigava a ir na igreja! Já o Fidel, gosto dele. Sou, além de professora, socióloga, rsrs. Portanto, viva Fidel! E viva as diferenças também!

Bj

Mike disse...

Boa música, bom álbum e boas idéias, não necessariamente nesta ordem... rsrsrsrs

Concordo em boa parte com vc, acho q religião é um assunto polêmico e política ainda mais. Aqui em BSB papo de política é constante, daí eu me exilo num mar de pensamentos ao som de Gil: "vamos fugir deste lugar... onde quer que você vá, que você me carregue..."

Leonardo werneck disse...

Menina, seu cérebro estava funcionando muito bem... não era hora dele acabar as baterias...rs

Penso relativamente como vc, mas não me iludo quanto ao irmão de Fidel, acho que ele será mandado pelo irmão... mas isso é somente minha opinião.

Não concordo com o socialismo e nem com o capitalismo que estamos vivendo, acho que seria preciso uma reformulação e talvez criação de uma nova sociedade ´ra chegar a ser um pouco melhores.

Ahh, e sou apaixonado por política..rs

beijos

Luca disse...

Seria esse post uma revolta contra a tua necessidade anterior de escrever desencontrada com o saber escrever?
Escreveu pra caramba até!
ehehe
Para resumir se gosto do capitalismo ou do socialismo, eu sempre digo uma frase da minha professora de Cultura: o ser humano é, naturalmente, capitalista.
E não odeio política, pq somos políticos. Eu detesto a politicagem, pois já não vejo política, isto é, se já existiu!

E eu acredito sim em Deus. Talvez, todos sejamos pragmáticos, apenas!

Beijoooooo

Ludmila Prado disse...

ha que ótimo o texto. esse finalzinho então.
as vezes me sinto exatamente assim, tenho milhares de assuntos que gostaria de tratar no meu blog e escrever, + num sai nada, pelo menos pra você saiu neh.

acho que como tudo tem dois lados o socialismo e o capitalismo tem seu lado bom e ruim, é só, como você mesmo disse, não deixar isso se tornar uma religião.
e falando de religão, acho que cada pessoa se identifica com uma, e acho essencial crer em algo, seja o que for, seja o Deus ou os Deuses que forem, e importante é crer, acreditar no que não se pode ver, e não se pode provar cientificamente, ter força e acreditar que é possível, isso pode mover montanhas.
um beijo