sexta-feira, 28 de março de 2008

Estagiando no inferno

E hoje (ontem, mas eu ainda não dormi, então...) foi meu primeiro dia de estágio.
Escola estadual. 7ª série.
Eu deveria estar em uma aula de português, mas "só temos inglês para você", vai inglês mesmo.
Tudo bem, eu até me garanto com o meu inglês mais ou menos, mas o problema nem foi esse.
O problema foi que ninguém lembrou de me avisar que os alunos parecem ter o diabo no corpo.
Uma barulheira sem fim. A professora gritando mais alto que eles, mas eles são persistentes e vão aumentando o tom de voz a cada nova tentativa de comunicação partindo da coitada lá na frente. Meninas de uns 12 anos usando shorts tão curtos, mas tão curtos, que nem na praia eu [o]usaria. Meninos maiores que eu (isso é fácil, fácil de encontrar, em qualquer lugar) medindo força com a professora. Um moleque com cara de tonto que passou a aula toda lendo um livrinho de piadas ao invés de fazer as atividades do jornalzinho. Um garoto com cara de sabe-Deus-o-quê batucando na lata de lixo. Duas meninas se divertindo horrores com uma brincadeira pseudo-safada que eu já brincava há 10 anos atrás e achava que era novidade, assim como elas achavam hoje. Um menino que eu nem me atrevi a olhar para ver que cara tinha, brincando com um tubo de cola, colando tudo e todos que ele avistava. E mais. Muito mais. Tudo isso assim. Sem parágrafos mesmo. Sem muitas vírgulas. Uma zona. E a estagiária (eu!) caladinha. Anotando tudo. Assustada.
Que.Horror.

Sério mesmo. Fiquei assustada.
Quando eu estava na 7ª série (e nem faz taaanto tempo assim), eu fazia bagunça, conversava, brigava com uns professores e talz, mas sabia a hora de parar e ouvir o palhaço que ficava lá na frente professor.
E tô me sentindo uma velha falando desse jeito. Só falta eu dizer coisas como "no meu tempo".
Mesmo não fazendo tanto tempo assim.
Melhor eu me calar antes que eu me convença de que o mundo mudou muito mais do que deveria em 10 anos.

***
Trilha Sonora: Gold Dust Woman - Hole. Porque Hole é bom quando eu estou precisando relaxar.

8 comentários:

[P] disse...

É por essas e outras que eu guardo determinadas táticas que, quando utilizadas no momento certo, e com a pessoa certa, são tiro e queda.

Agora, Mila, pelamordedeus, em que lugar estava escondida a autoridade da professora? Porque, sabe... eu sei que as coisas são muito, muito, MUITO difícies, ainda mais em se tratando de adolescentes, mas... sabe o que me ocorreu?

De repente ela deixou o circo pegar fogo só para te assustar. Já pensou nisso? :)

Beijos.

Gabi disse...

Olha, Mila, eu concordo com você. Eu nunca fui santa na minha época de colégio (nooooosssaaaaa, tantos anos... ahahahaha). Brincava MUITO, conversava MUITO, passava papel nas aulas, lia revista de fofoca ao invés de abrir o livro... um horror. Mas eu tinha respeito pelos meus professores (pior: eu era representante de turma, beijos), sabia a hora de dar uma maneirada e deixar o maluco lá da frente fazer o seu trabalho.
Eu acho que é isso que falta, de uma maneira geral, a essa galera que nasceu um pouco depois da gente: respeito. Ok, você pode fazer zona, mas gente, tenhamos classe, pelo amor de Deus.

letícia * disse...

brincadeira pseudo-safada???

fiquei curiosa. conta pra gente!


bjo*

Tay Highway disse...

hahahaha mas o mundo mudou e muito nesses dez anos!!!! Eu tbm concordo com isso!

Aliás... oi! tô cansada e nem tempo de divulgar meu blog eu tenho. Tô vendo que ele volta a sumir logo de novo....

Mike disse...

É, Mila... vida de professor não é nada fácil!!!!

.Ná. disse...

Quando eu falo que a sala de aula é um inferno ninguém acredita. MAS NO MEU INFERNO, EU SOU A DIABA MÓR E AI DAQUELE QUE NAO ME OBEDECE. ahuhuahuha
Bjo

Bel Gasparotto disse...

Putz, eu ainda não tinha dito? Você não sabia que era assim? Sua mãe também te enganou, dizendo que se estudasse teria um bom emprego? Putzzzz...

Brincadeiras à parte, calma, Mila. Não é sempre assim, nem em todos os lugares. Numa escola em que trabalhei eu tinha medo de um dia a sala pegar fogo. Fogo mesmo, incêndio! Mas na que estou hoje, aliada com a experiência de quase seis anos, já é bem melhor, você aprende a lidar com essas coisas. Hoje minhas quintas séries são a maior paz...

Bem vinda, o magistério é um sacerdócio, aviso, rsrs

Luca disse...

Ó, céus!
Passando o olho rapidamente pelos textos já escritos, desde a minha ultima visita, me deparei com este.
Ô, Mila!

ahauhauahuhahau

(desculpa, mas foi de rir! discunjuro!)